domingo, 27 de janeiro de 2008

Anti-semitismo camuflado


Absolutamente nada no nazismo contem os conceitos de "bem", "humanismo", "civilidade", "tolerância" ou "paz". Ao contrário, o nazismo parte do pressuposto cruel da superioridade de uma raça sobre as demais e o conseqüente "direito" à dominação e extermínio das "inferiores".

Essa doutrina do horror não só não desapareceu como proliferou e prolifera, sob a atual e eufemística denominação de "neo-nazismo".

Seus seguidores são seres estranhos que andam agrupados, com cabeças raspadas, tatuagens agressivas, e roupas militarizadas, promovendo a destruição e a agressão física onde quer que passem, em geral contra judeus, negros, homossexuais e qualquer um que, ao sabor da covarde selvageria deles, esteja em minoria, só ou desprotegido.
Isoladamente são esquivos, não olham nos olhos, parecem acuados, tal qual as feras que vivem em matilhas, valentes quando muitos, covardes quando sós.

Nem todo o preconceituoso é nazista, nem todo o anti-semita é nazista. O anti-semita que simplesmente não "gosta" de judeus me preocupa muito mais do que o nazista. Este, de um modo ou de outro, acaba se expondo, não se controla e extravasa sua ferocidade, mais cedo ou mais tarde. É identificável com mais facilidade e, portanto, mais fácil de ser combatido.

O que me preocupa é o outro, o anti-semita silencioso, o que tem amigos judeus, não quer o mal de ninguém individualmente mas, sempre que pode, utiliza velhos chavões para atacar o judaísmo, entre eles os mais acirrados críticos das atitudes de Israel no eterno conflito no Oriente Médio, mesmo que defensivas.

O anti-semita silencioso, que não fará mal a um judeu, é contra Israel por uma questão de "ideologia", por ser "de esquerda", o que, nos dias de hoje significa, por definição, ser contra os Estados Unidos, além de outros pretextos mais ou menos esquizofrênicos para disfarçar o racismo atávico e o preconceito explícito.

Esse tipo de anti-semita normalmente apoia Hugo Chavez, por exemplo, nas suas ligações "político-econômicas" com o Irã e seu presidente, o maníaco que quer transformar Israel em poeira atômica. Não é por acaso que o Presidente do Brasil tanto defende Hugo Chavez, tanto deseja seu ingresso no Mercosul, tanto insiste em que há uma democracia na Venezuela.

Chavez, um "democrático" candidato à ditador, sempre com sua camisa vermelha amparado na multidão de apoiadores vestidos de vermelho, vistos nas fotos dos jornais e na televisão com seus rostos fanatizados, braços erguidos e punhos cerrados, não deve ser nazista, mas não há dúvidas de que é anti-semita. Não é por acaso, também, que o Partido dos Trabalhadores, no Brasil, celebrou um convênio de colaboração com um dos grupos terroristas palestino dos mais cruéis e intransigentes.

Não é por acaso que Lula e Chavez se entendem, apoiados pelo casal argentino Kirchner.

Entre o nazista e o anti-semita silencioso, prefiro o primeiro, que posso combater sem dó nem piedade. O outro, quase sempre, é uma pessoa "de bem" que faz o mal jurando por todos os deuses que jamais teve "a intenção', que "não tem nada contra", que "admira" os judeus e, sempre que pode, solta seu veneno racista, libera sua índole preconceituosa, forma opinião e dissemina o ódio.

Aos nazistas devemos combater a ferro, fogo, colocando-os na cadeia que é lugar de criminosos contra a humanidade.

Aos anti-semitas silenciosos devemos combater com a denúncia, com intransigência intelectual, com o apoio da sociedade verdadeiramente humana, tolerante e organizada.
Fonte: FIRGS.

Um comentário:

lconsalter disse...

Muito boa as fontes que você colheu as informações David,ainda mais quando não-judeus e principalmente leigos como eu temos acesso à elas, não só o problema do anti-sionismo,mas os outros inúmeros problemas, é claro que o anti-semitismo está sempre oculto por de trás deles todos, isso vem lá dos primordios, assim como também hoje em dia temos o revisionismo(negação do holocausto), apesar de não estar diretamente ligada aos problemas atuais,também é mais um forte aliado contra o sionismo, contra a auto-determinação da existência do Estado judaico, tudo isso é pq pessoas que não sabem direito a história a fundo, que só vêem os noticiários dos telejornais distorcem as informações e é disto que os anti-semitas se beneficiam, arrebanham os desinformados, alimentando um ódio infundado contra Israel e seu povo, é preciso divulgar seu blog, é preciso mais atitudes como a sua para combater esses pré-conceitos até mesmo em relação aos ataques de Israel contra os grupos terroristas do Líbano e faixa de Gaza, antes de julgar os fins é preciso que se conheça todos os meios...é isso aí, se eu escrevi alguma besteria me corrija